História


RETROSPECTIVA ACORDOS COLETIVOS
DOS TRABALHADORES DOS CORREIOS


1988: reajuste de 35% e mil funcionários foram demitidos – ACM.


1994: Sem acordo e sem aumento.


1995: Não houve aumento. Dissídio coletivo Processo DC 232576-95.6 TST.


1997: Empresa concedeu uma referência salarial, instrumento já previsto no plano de cargo, para alguns empregados apenas e abono de R$ 200,00; Data base alterada de 01 de dezembro para 01/08 de cada ano.


1998 - 1999: Aumento de 2% linear e abono mínimo de R$ 250,00 e máximo de R$ 460,00;


1999 - 2000: Aumento de 2% e abono de mínimo de R$ 400,00 e máximo de R$ 1000,00;


2000 - 2001: Dissídio coletivo via TST, apenas funcionários das referencias salariais 01 a 07, avançaram para a referência salarial 08. Em síntese quem era recém-contratado passou a ganhar o mesmo valor que um empregados que tinha mais de 05 anos de empresa e ainda perdura até hoje. Demais ficaram sem aumento.


2001 - 2002: Aumento linear de 6% e abono com valores de R$ 800 a R$ 1.000,00.


2002 - 2003: Aumento linear de 4% + avanço de uma referência salarial, instrumento previsto no plano de cargo e abono em parcela única de R$ 1000,00 para todos.


2003 – 2004: Reajuste Linear de 6% + 02 referencias salariais para empregados das RS 01 a RS 27, 01 referencia salarial para aqueles enquadrados nas referencias salariais - RS 28 e a partir de 01/01/2004 foi concedido mais uma referência salarial para empregados enquadrados nas RS 9 a 29. Santa confusão. Empregados mais velhos ficaram sem aumentos e foram discriminados. Achatamento salarial para quem tinha mais de 10 anos de empresa na época.


2004 - 2005: Reajuste linear de 6,81% + abono linear de R$ 400,00 e novamente, concessão de 01 referência salarial para empregados admitidos até 31/04/2004, a partir da data base e em 01/03/2005, uma referência salarial para empregados admitidos até 01/03/2002. Nova confusão e achatamento salarial ao se utilizar um instrumento previsto no plano de cargo para não dar aumento na data base e iludir o trabalhador. Nos meses previstos para tais promoções por mérito e antiguidade veio vento.


2005 - 2006: Reajuste linear de 7,07% + uma referência salarial para os empregados admitidos até 31/07/2005.


2006 - 2007: Reajuste linear de 6,% na data base 01/08/2006 + 3% a partir de 01/03/2007. Data base em 01/08/2006 e aumento foi dado em 01/03/2007.


2007 - 2008: Conseguiu aumento linear de 3,74% e aumento linear de R$ 60,00 sobre o salário base, atingindo apenas o ganho de alguns empregados.


2008 - 2009: Conseguiu 9% linear na data base (01/08) e mais R$ 100,00 linear a partir de 01/01/2010.


2010: Não houve acordo coletivo. Sem reajuste.


2009 - 2011: Conseguiu 9% linear na data base (01/08) e mais R$ 100,00 linear a partir de 01/01/2010. O valor fixo atingiu apenas o salário base de alguns empregados.


2011 - 2012: 6,87% linear e R$ 80,00 linear a partir de outubro de 2011.


Contato
Rua Heronildes José da Silva, 190
CEP: 88110-624 - Bairro Floresta, São José/SC
Telefones/Fax: 0800-646-1992
(48) 3346.1992
/ (48) 3346-3448
Cadastre-se para receber nossas notícias:
cadastrar ou remover
Receba notcias por SMS
cadastrar     remover